Take_Post_inovacao-posivel_Blog.png

 

Xôoo Síndrome de Gabriela 

 

 

Para aqueles que não conhecem a Síndrome de Gabriela, estamos falando daquelas pessoas que tem o seguinte discurso: “Eu sou assim... esse é meu jeito... não vou mudar... mudar pra que?”. “Eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim Gabriela, sempre Gabriela”- com Gal Costa.

 

Pessoas que ainda pensam assim nos dias de hoje estão fadadas ao fracasso. Somente aqueles que perceberem que as mudanças são inevitáveis, terão empregabilidade, felicidade e as melhores oportunidades.

 

Mas por que será que nas organizações as mudanças ainda causam tantas resistências? Ao longo de minhas experiências o que observo é a inabilidade dos responsáveis pela mudança em conduzir esses processos, e automaticamente essa dificuldade gera desdobramentos negativos. Portanto, prepare-se para realizar toda e qualquer mudança necessária em sua organização. Ah! E como diz Stephen Covey  “Sem envolvimento não há comprometimento”.

 

Compartilho com vocês um roteiro que elaborei para que você seja mais assertivo na gestão de mudanças em sua organização:

 

10) Comunique com antecedência o que irá ocorrer – Toda mudança deve ser comunicada antes que aconteça, para gerar maior envolvimento, menor resistência e despreparo das pessoas envolvidas.

9) Alinhe as expectativas das pessoas – Ouça as pessoas, suas expectativas, medos, etc, para facilitar a adaptação e engajamento dos mesmos.

8) Faça alianças com pessoas chaves – Conte sempre com pessoas influentes e positivas da organização, para que fortaleça sua ideias e alavanque com maior facilidade as ações iniciais.

7) Esteja próximo das pessoas mais resistentes – Elas podem minar as energias necessárias nesse momento, portanto esteja próximo delas, ouça sua opinião e os envolva.

6) Deixe claro os objetivos e benefícios da mudança – Reforce a necessidade das mudanças, o porquê estarão ocorrendo, e quais são benefícios diretos e indiretos.

5) Invista na infraestrutura e recursos necessários – Tenha antecipadamente planejado e providenciado tudo o que for necessário para atuar nesse novo cenário, para que não desmotive e perca o aquecimento e energia que investiu para comprometer as pessoas.

4) Descreva os novos procedimentos – Passo a passo, clareza e registro das informações são fundamentais.

3) Treine, treine e treine todos os envolvidos –  A sensação de não saber qual é o “meu” papel na mudança é terrível, pode comprometer tudo o que foi planejado. Invista tempo e energia para capacitar todos os envolvidos.

2) Comunique todas as  mudanças no Planejamento inicial – Corrija todas as rotas pois muitas vezes é necessário, mas não comunica-las pode gerar falta de credibilidade e descrédito das pessoas.

1) Esteja pronto para realizar as mudanças necessárias – Antes de mudar a organização esteja pronto para mudar a você mesmo... paradigmas, conceitos, estratégias, procedimentos, regras, etc. Muitas vezes a mudança que queremos ver no outro começa em nós!

 

“A melhor maneira de guiar sua vida através de infinitas mudanças é seguir sua visão e seus próprios valores. Como um leme, seus valores o manterão no curso que a sua integridade prefere. Como um barco à vela, sua visão irá puxá-lo à frente na direção das expectativas legitimadas” – Livro Treze Novas Regras da Vida, Frederic M. Hudson & Pámela McLean.

 

 

Elaine Moraes -Consultora Qualitas