Demissão.png

 

Demissão... por onde começo?

 

Demissão... por onde começo?

 

Por que será que os gestores têm tanto medo, e nunca se sentem preparados para fazer a demissão de um colaborador?

 

Todo gestor/ líder de pessoas e projetos deve saber que demitir pessoas faz parte das suas atribuições.

 

Ao longo de minha carreira já passei por experiências difíceis em relação a demissão, não porque não estava preparada, mas por ter que lidar com momentos estratégicos para as empresas onde as demissões faziam parte da estratégia do negócio.

 

No livro Acertar é Humano - Flavio Cavalcante cita que: “Demissões são momentos traumáticos e que por isso devem ser feitos por profissionais experientes, cuidadosos e especializados”; ou seja, esteja pronto para esse momento pois ele vai chegar.

 

Mas o que fazer, e principalmente o que não fazer ao demitir? Calma, preparei uma lista de orientações que irão te ajudar! Mas antes vamos voltar um pouquinho nesse processo.... Por que as pessoas são demitidas? Muitas pessoas consideram que existe uma máxima em Recursos Humanos - “Contratamos por conhecimento e capacidade técnica e demitimos por comportamento ou diferença de valores”. Será que é isso mesmo que acontece? O processo de demissão pode ser consequência de uma seleção mal feita, de falta de treinamento e orientação, de falta de feedback, de incompetência do gestor, da falta de estrutura, ausência de processos e procedimentos internos, incompetência do colaborador etc etc... O mais importante é que ao chegar nesse momento você enquanto gestor tenha “esgotado” todas as estratégias antes de demitir esse colaborador, pois assim será algo mais “tranquilo, consciente e ético” da sua parte.

 

HUMANIZAR... mais uma vez esse é o termo e a estratégia que as empresas estão adotando na hora da demissão, diminuindo assim danos emocionais para os colaboradores, processos trabalhistas, e desgaste da imagem da empresa. Bora aprender mais um pouco:

 

O que NÃO FAZER ao demitir

  • Comunicar a demissão por e-mail, telefone, ou WatsApp
  • Ser agressivo ao dar a notícia
  • Demitir sem explicar os reais motivos
  • Demitir sem Feedback, principalmente ao logo do período que ele trabalhou na empresa
  • Ser frio durante o processo de demissão
  • Prometer o que não poderá cumprir
  • Demonstrar pena, ou outro extremo, ser totalmente indiferente a realidade do demitido

 

 

O que FAZER ao demitir

Importante: A demissão tem que ser comunicada pelo gestor e não pela área de RH. Se estiver inseguro solicite que o profissional do RH te acompanhe, mas a demissão deve ser feita por você gestor.

 

  • Seja claro e transparente ao comunicar os motivos que levaram a demissão
  • Descreva comportamentos, fatos, e situações recorrentes
  • Faça em local tranquilo e reservado
  • Adote uma postura de “olho no olho”, assim terá maior credibilidade naquilo que está passando, e até mesmo para observar as reações do colaborador
  • Ouça tudo o que o colaborador tem a dizer
  • Agradeça pelo tempo que esteve na empresa
  • Seja empático, respeitoso e atencioso
  • Coloque a área de RH à disposição do colaborador para acertar prazos, pagamentos e orientações em geral
  • Apresente o pacote de benefícios da empresa (quando for aplicável)
  • Veja se ele quer uma carta de apresentação
  • Ajude-o a se recolocar, se achar conveniente e for possível
  • Acompanhe por aproximadamente 6 meses o processo de recolocação dele no mercado de trabalho
  • Comunique a equipe a demissão do colaborador de forma clara e objetiva, sem expor o colaborador demitido

 

E ainda falando do processo de “Humanização” da demissão, as empresas adeptas a esse tipo de demissão oferecem em geral um pacote de benefícios aos demitidos, tais como:  manutenção do plano de saúde de 3 a 6 meses após demissão, atendimento psicológico, serviços de recolocação no mercado e orientação de carreira.

Gostou desse conteúdo? Espero que ele te ajude em novas práticas.

 

           Elaine Moraes -Consultora Qualitas